Sexta, 10 Novembro 2017 20:08

O que é a Ceto-Adaptação? Destaque

Escrito por
Avalie este ítem
(2 Votos)

Antes que você possa começar a colher os benefícios da cetose, seu corpo deve se adaptar a uma série de alterações metabólicas que acompanham a mudança sustentada da cetose.

Essas mudanças incluem um aumento na produção de enzimas necessárias para metabolizar gorduras e cetonas, além de aumentar o número de transportadores necessários para mover cetonas através das membranas celulares. Outras mudanças incluem aquelas que ajudam a manter a homeostase da glicose - mudar a dependência de insulina e glucagon para outros mecanismos de sinalização que atuam principalmente para estimular a produção de glicose pelo fígado. A cetose ocorre dentro de dias, enquanto a adaptação de ceto leva de semanas a meses.Antes que você possa começar a colher os benefícios da cetose, seu corpo deve se adaptar a uma série de alterações metabólicas que acompanham a mudança sustentada da cetose. Essas mudanças incluem um aumento na produção de enzimas necessárias para metabolizar gorduras e cetonas, além de aumentar o número de transportadores necessários para mover cetonas através das membranas celulares. Outras mudanças incluem aquelas que ajudam a manter a homeostase da glicose - mudar a dependência de insulina e glucagon para outros mecanismos de sinalização que atuam principalmente para estimular a produção de glicose pelo fígado. A cetose ocorre dentro de dias, enquanto a adaptação de ceto leva de semanas a meses.

Devo salientar que tornar-se adaptado à ceto não garante que você tenha superado todos os problemas metabólicos pré-existentes. Alguns, como a resistência à insulina, podem demorar, embora isso melhore consideravelmente. Outros problemas metabólicos podem surgir de distúrbios endócrinos que não respondem à terapia metabólica cetogênica, como problemas causados por tumores pituitários.

 PROCESSO DE CETO ADAPTAÇÃO
Alterações na primeira semana de restrição de carboidratos
Diminuição de Glicose & Insulina
Aumento do Glucagon
Diminuição das Reservas de Glicogênio
Aumento da perda de peso pelo glicogenio + perda de água
Aumento da excreção de sódio (e possivelmente potássio)
Alterações posteriores através da ceto-adaptação (semanas a meses)
Aumento da excreção de cálcio
Níveis de sódio e potássio se equilibram
Aumento da oxidação de ácidos graxos
Aumento da gliconeogênese no fígado
Aumento dos níveis circulantes  de corpos cetônicos
Aumento dos transportadores MCT-1
Aumento da capacidade de utilização de acidos graxos e corpos cetônicos (tecido-dependentes)
As reservas de glicogênio nos músculos esqueléticos se normalizam

 

 

 

 

 

 

 

Lido 126 vezes Última modificação em Sexta, 10 Novembro 2017 20:29
Dr. Renato Riccio

Médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Medicina Funcional e Integrativa com foco em Medicina do Estilo de Vida

www.drrenatoriccio.med.br
Faça login para comentar

Sobre o Equilibrium

O Centro Equilibrium - Medicina Individualizada vem realizando atendimento médico em Medicina Funcional com foco em Estilo de Vida há mais de 30 anos. Venha conhecer uma forma bem diferente de atendimento médico, que tem como foco a prevenção e a orientação do paciente, buscando juntamente com ele o atingimento de suas metas individuais.

Leia em Vitamina D

  • Deficiência de Vitamina D em homens pode aumentar o risco de cefaléia crônica

    Uma nova pesquisa européia sugere que a falta de vitamina D poderia ter outro efeito sobre a saúde, aumentando o risco de dor de cabeça crônica em homens.

  • Vitamina D e um sono bom e o gerenciamento da dor

    Após uma revisão das pesquisas publicadas sobre a relação entre vitamina D, sono e dor, os pesquisadores sugerem que a suplementação de vitamina D, juntamente com uma boa higiene do sono, pode oferecer uma maneira eficaz de administrar a dor em condições como artrite, dor nas costas crônica, fibromialgia e cólicas menstruais.

  • Menos radioterapia necessária se houver mais vitamina D (câncer de pulmão no laboratório) - março de 2017

    A vitamina D melhora a sensibilização do câncer de pulmão para a radioterapia

  • Vitamina D - novo estudo sugere que ela ajuda a diminuir o risco de câncer

    A vitamina D e o cálcio, há muito reconhecidos como importantes para a saúde óssea, atraíram o interesse clínico nos últimos anos por seus potenciais benefícios não esqueléticos, incluindo a prevenção do câncer.

  • Vitamina D permite prever a agressividade do câncer de próstata

    Pesquisadores americanos sugerem que há uma ligação entre os níveis baixos de vitamina D e a agressividade do câncer de próstata, é o que mostra um estudo publicado no “Journal of Clinical Oncology”.