Segunda, 22 Janeiro 2018 23:37

Fundamentos de Funcionamento das Glândulas Adrenais Destaque

Escrito por
Avalie este ítem
(3 Votos)

As glândulas adrenais (ou supra-renais) são duas pequenas glândulas, cada uma do tamanho de uma uva grande. Elas ficam localizadas sobre os rins. O objetivo delas é auxiliar o corpo a lidar com o estresse e, desta forma, ajudá-lo a sobreviver.

Cada glândula adrenal possui dois compartimentos. As glândulas adrenais (ou supra-renais) são duas pequenas glândulas, cada uma do tamanho de uma uva grande. Elas ficam localizadas sobre os rins. O objetivo delas é auxiliar o corpo a lidar com o estresse e, desta forma, ajudá-lo a sobreviver. Cada glândula adrenal possui dois compartimentos: 

  • O compartimento interno é a medula adrenal. Ela modula o sistema nervoso simpático através da secreção e regulação de dois hormônios chamados epinefrina (adrenalina) e norepinefrina (noradrenalina). A epinefrina e a norepinefrina são responsáveis pela reação da "luta ou da fuga". 
  • O compartimento externo é o córtex adrenal. O córtex adrenal compreende 80% da glândula adrenal e produz mais de 50 hormônios diferentes. Esses hormônios compõem três grandes classes - glicocorticóides, mineralocorticóides e andrógenos.

Adrenal hormonios

 

O glicocorticóide mais importante é o cortisol. Quando o cortisol está baixo, o corpo fica incapaz de lidar com o estresse. Isso acontece na fadiga adrenal.

Os mineralocorticóides modulam o delicado equilíbrio de minerais na célula, especialmente o sódio e o potássio. Um exemplo é a aldosterona. Isso regula a pressão arterial e o fluido no corpo. O estresse aumenta a liberação de aldosterona, causando retenção de sódio. Isso resulta em retenção de água e pressão arterial elevada. O potássio e magnésio são perdidos nos estágios iniciais da fadiga adrenal. O magnésio está envolvido em mais de 300 reações enzimáticas no corpo. Quando o corpo não possui magnésio, podem surgir arritmias cardíacas e outros sintomas.

O córtex adrenal também é responsável pela produção de todos os hormônios sexuais, embora em pequenas quantidades. Uma exceção é o DHEA (dehidroepiandrosterona), um hormônio androgênico fraco que é produzido em grandes quantidades em ambos os sexos. O DHEA, juntamente com a testosterona e o estrogênio, são produzidos a partir da pregnenolona.

A pregnenolona também leva à produção de progesterona. É uma das etapas intermediárias na elaboração do cortisol. A pregnenolona é, portanto, um dos hormônios intermediários mais importantes na cascata hormonal. Uma deficiência prolongada na pregnenolona levará a redução de glucocorticosteróides e mineralocorticóides. Isso pode ocorrer na Fadiga Adrenal. 

divisor 1

Lido 136 vezes
Dr. Renato Riccio

Médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Medicina Funcional e Integrativa com foco em Medicina do Estilo de Vida

www.drrenatoriccio.med.br

Deixe um comentário

Sobre o Equilibrium

O Centro Equilibrium - Medicina Individualizada vem realizando atendimento médico em Medicina Funcional com foco em Estilo de Vida há mais de 30 anos. Venha conhecer uma forma bem diferente de atendimento médico, que tem como foco a prevenção e a orientação do paciente, buscando juntamente com ele o atingimento de suas metas individuais.

Leia em Vitamina D

  • Deficiência de Vitamina D em homens pode aumentar o risco de cefaléia crônica

    Uma nova pesquisa européia sugere que a falta de vitamina D poderia ter outro efeito sobre a saúde, aumentando o risco de dor de cabeça crônica em homens.

  • Vitamina D e um sono bom e o gerenciamento da dor

    Após uma revisão das pesquisas publicadas sobre a relação entre vitamina D, sono e dor, os pesquisadores sugerem que a suplementação de vitamina D, juntamente com uma boa higiene do sono, pode oferecer uma maneira eficaz de administrar a dor em condições como artrite, dor nas costas crônica, fibromialgia e cólicas menstruais.

  • Menos radioterapia necessária se houver mais vitamina D (câncer de pulmão no laboratório) - março de 2017

    A vitamina D melhora a sensibilização do câncer de pulmão para a radioterapia

  • Vitamina D - novo estudo sugere que ela ajuda a diminuir o risco de câncer

    A vitamina D e o cálcio, há muito reconhecidos como importantes para a saúde óssea, atraíram o interesse clínico nos últimos anos por seus potenciais benefícios não esqueléticos, incluindo a prevenção do câncer.

  • Vitamina D permite prever a agressividade do câncer de próstata

    Pesquisadores americanos sugerem que há uma ligação entre os níveis baixos de vitamina D e a agressividade do câncer de próstata, é o que mostra um estudo publicado no “Journal of Clinical Oncology”.