Domingo, 07 Janeiro 2018 09:39

Jejum intermitente e seus benefícios Destaque

Escrito por
Avalie este ítem
(4 Votos)

Os estoques de energia no corpo são finitos e são canalizadas para os processos de digestão, movimento, cognição, respiração e muito mais.

O ato de digerir alimentos - que requer grandes quantidades de sangue - desvia a energia de outros processos. Além disso, o comer provoca um pico inevitável - e poupador de energia - na atividade imune, com condições inflamatórias aumentando como uma linha natural de defesa contra agentes patogênicos que, eventualmente, possam estar nos alimentos.Os estoques de energia no corpo são finitos e são canalizadas para os processos de digestão, movimento, cognição, respiração e muito mais. O ato de digerir alimentos - que requer grandes quantidades de sangue - desvia a energia de outros processos. Além disso, o comer provoca um pico inevitável - e poupador de energia - na atividade imune, com condições inflamatórias aumentando como uma linha natural de defesa contra agentes patogênicos que, eventualmente, possam estar nos alimentos. 

O jejum prolongado, por outro lado, diminui a inflamação, suprimindo a liberação da interleucina pró-inflamatória 6 e do fator de necrose tumoral alfa. Ele também reduz o dano dos radicais livres, juntamente com os níveis de IGF-1, um hormônio dos fatores de crescimento associado ao envelhecimento, progressão tumoral e risco de câncer. 

Além do mais, evitar alimentos sólidos enquanto bebe água, chá verde e outras bebidas purgativas ajuda a liberar o sistema digestivo de toxinas.

Talvez, o mais importante, o jejum estimula um processo chamado autofagia, no qual o corpo quebra células antigas e danificadas e as recicla por energia. Este processo não só combate as infecções virais e a disseminação de parasitas intercelulares, mas também ajuda o corpo a eliminar as células cancerosas anormais. Também ajuda a privar as células cancerosas de nutrientes, assim, "matando-as de fome" e abrandando o crescimento e disseminação de tumores.

Algo em torno de 60 a 70 por cento do sistema linfóide, associado à imunidade, está localizado ao longo trato gastrointestinal. À luz desse fato, é fácil ver por que o jejum e a saúde imunológica estão tão interconectados.

Se você gostaria de experimentar jejum intermitente para aumentar o seu sistema imunológico - ou para prevenir e tratar câncer e doenças cardíacas - discuta o assunto com seu profissional de saúde. De um modo geral, o jejum não é recomendado para menores de 18 anos ou para mulheres grávidas ou amamentando. 

Embora possa parecer contra-intuitivo, uma forte pesquisa médica apóia os efeitos saudáveis de evitarmos, temporariamente, o ato de nos alimentar. Sem dúvida, o jejum intermitente está emergindo de forma muito rápida como uma terapia natural promissora para prevenir, tratar e até mesmo reverter uma variedade de doenças debilitantes.

Lido 89 vezes Última modificação em Domingo, 07 Janeiro 2018 10:01
Dr. Renato Riccio

Médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Medicina Funcional e Integrativa com foco em Medicina do Estilo de Vida

www.drrenatoriccio.med.br

Deixe um comentário

Sobre o Equilibrium

O Centro Equilibrium - Medicina Individualizada vem realizando atendimento médico em Medicina Funcional com foco em Estilo de Vida há mais de 30 anos. Venha conhecer uma forma bem diferente de atendimento médico, que tem como foco a prevenção e a orientação do paciente, buscando juntamente com ele o atingimento de suas metas individuais.

Leia em Vitamina D

  • Deficiência de Vitamina D em homens pode aumentar o risco de cefaléia crônica

    Uma nova pesquisa européia sugere que a falta de vitamina D poderia ter outro efeito sobre a saúde, aumentando o risco de dor de cabeça crônica em homens.

  • Vitamina D e um sono bom e o gerenciamento da dor

    Após uma revisão das pesquisas publicadas sobre a relação entre vitamina D, sono e dor, os pesquisadores sugerem que a suplementação de vitamina D, juntamente com uma boa higiene do sono, pode oferecer uma maneira eficaz de administrar a dor em condições como artrite, dor nas costas crônica, fibromialgia e cólicas menstruais.

  • Menos radioterapia necessária se houver mais vitamina D (câncer de pulmão no laboratório) - março de 2017

    A vitamina D melhora a sensibilização do câncer de pulmão para a radioterapia

  • Vitamina D - novo estudo sugere que ela ajuda a diminuir o risco de câncer

    A vitamina D e o cálcio, há muito reconhecidos como importantes para a saúde óssea, atraíram o interesse clínico nos últimos anos por seus potenciais benefícios não esqueléticos, incluindo a prevenção do câncer.

  • Vitamina D permite prever a agressividade do câncer de próstata

    Pesquisadores americanos sugerem que há uma ligação entre os níveis baixos de vitamina D e a agressividade do câncer de próstata, é o que mostra um estudo publicado no “Journal of Clinical Oncology”.