Terça, 02 Janeiro 2018 14:20

Hipotireoidismo nos homens Destaque

Escrito por
Avalie este ítem
(5 Votos)

Em termos de sintomas relacionados especificamente aos homens, o hipotireoidismo é mais comumente ligado à perda de massa muscular e força ao invés do ganho de peso tipicamente visto nas mulheres.

O hipotiroidismo também pode aumentar o risco de infertilidade masculina. De fato, pesquisa como mostrado que homens com baixa função tireoidiana tendem a ter uma qualidade de esperma mais baixa, menor produção de esperma e menor mobilidade espermática.

Acredita-se que isso seja causado, pelo menos em parte, por um hormônio conhecido como prolactina que é secretado pela glândula pituitária (hipófise) juntamente com o TSH. À medida que a produção de TSH aumenta nos homens hipotireoideanos, também a prolactina acaba aumentando. Esse excesso pode desencadear um declínio acentuado nos níveis de testosterona que, por sua vez, pode afetar a produção de esperma, o desejo sexual e até mesmo o desenvolvimento da musculatura magra.

O impacto do hipotireoidismo nos andrógenos (hormônios masculinos) também aparece fortemente ligado à disfunção erétil, embora o mecanismo exato para isso ainda não esteja claro. Ao contrário do hipertireoidismo, em que uma queda no TSH e aumento do T4 está diretamente associada às dificuldades de ereção, nenhum vínculo claro ainda foi estabelecido para homens com hipotireoidismo.

Com isso dito, um estudo de 2008 publicado no Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism sugeriu que os homens com baixa função tireoidiana apresentavam  taxas de disfunção erétil maiores ainda do que homens hipertireoideanos (85 por cento contra 71 por cento, respectivamente) e mais de três vezes a taxa vista em homens com função normal da tireoide (25 por cento).

O mesmo estudo mostrou que, uma vez que a função tireoidiana foi restaurada através da medicação, a taxa de disfunção erétil era mais ou menos a mesma da população geral.

Referências:

  1. Corona, G.; Wu, F.; Forti, G. et al. "Thyroid hormones and male sexual function." Int J Androl. 2012; 35(5):668-79. DOI: 10.1111/j.1365-2605.2012.01266.x.
  2. Krajewska-Kulak, E. and Sengupta, P. "Thyroid Function in Male Infertility." Front Endocrinol. 2013; 4:174. DOI: 10.3389/fendo.2013.00174.
  3. Krassas, G.; Tziomalos, K.; Papadopoulou, R. et al. " Erectile dysfunction in patients with hyper- and hypothyroidism: how common and should we treat?" J Clin Endocrinol Metab. 2008; 93(5):1815-9. DOI: 10.1210/jc.2007-2259.
Lido 141 vezes Última modificação em Terça, 02 Janeiro 2018 14:31
Dr. Renato Riccio

Médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Medicina Funcional e Integrativa com foco em Medicina do Estilo de Vida

www.drrenatoriccio.med.br

Deixe um comentário

Sobre o Equilibrium

O Centro Equilibrium - Medicina Individualizada vem realizando atendimento médico em Medicina Funcional com foco em Estilo de Vida há mais de 30 anos. Venha conhecer uma forma bem diferente de atendimento médico, que tem como foco a prevenção e a orientação do paciente, buscando juntamente com ele o atingimento de suas metas individuais.

Leia em Vitamina D

  • Deficiência de Vitamina D em homens pode aumentar o risco de cefaléia crônica

    Uma nova pesquisa européia sugere que a falta de vitamina D poderia ter outro efeito sobre a saúde, aumentando o risco de dor de cabeça crônica em homens.

  • Vitamina D e um sono bom e o gerenciamento da dor

    Após uma revisão das pesquisas publicadas sobre a relação entre vitamina D, sono e dor, os pesquisadores sugerem que a suplementação de vitamina D, juntamente com uma boa higiene do sono, pode oferecer uma maneira eficaz de administrar a dor em condições como artrite, dor nas costas crônica, fibromialgia e cólicas menstruais.

  • Menos radioterapia necessária se houver mais vitamina D (câncer de pulmão no laboratório) - março de 2017

    A vitamina D melhora a sensibilização do câncer de pulmão para a radioterapia

  • Vitamina D - novo estudo sugere que ela ajuda a diminuir o risco de câncer

    A vitamina D e o cálcio, há muito reconhecidos como importantes para a saúde óssea, atraíram o interesse clínico nos últimos anos por seus potenciais benefícios não esqueléticos, incluindo a prevenção do câncer.

  • Vitamina D permite prever a agressividade do câncer de próstata

    Pesquisadores americanos sugerem que há uma ligação entre os níveis baixos de vitamina D e a agressividade do câncer de próstata, é o que mostra um estudo publicado no “Journal of Clinical Oncology”.